janelas

Ainda a res domestica



Numa das minhas pesquisas recentes, dei com isto e,

de repente, senti-me mais reconfortada!

“Sou casado, tenho duas filhas, ocupo parte do tempo

em tarefas alheias à literatura...

Todavia, esse mundo familiar e esse mundo das

lidas quotidianas que executo sem gosto, embora com

o brio de que sou capaz e que de mim exijo, não os

expulso do mundo da arte. Mesmo quando me desgasta

o penoso sentimento das energias e das horas

delapidadas, mesmo quando a família me dispersa

ou me absorve, não me alheio da evidência de

que tudo isso é vida autêntica,

matéria-prima da literatura.”


in Encontros com Fernando Namora (miscelânea de entrevistas conduzidas por jornalistas estrangeiros, em 1963,1964 e 1965…), editora NOVA CRÍTICA, Porto, 1979.

Sem comentários: