janelas

Pedaços*

* ao jorge, cujas lágrimas, hoje, partilho.

Sony A 700
1/50s
8.0f
ISO 125
Zoom Sigma DC a 200 mm

convite aos vizinhos e visitantes desta janela

O lançamento é amanhã, por volta das 21h30, mais coisa, menos coisa, no Club Torrejano, mesmo ali na Praça 5 de Outubro.
Apareçam. Há bolos, salgados e amigos!

Colecção Outono /Inverno

Da Janela tem um novo cabeçalho. Hesitámos entre esta foto e aquela que lá se encontra. São ambas da nossa colecção Outono/Inverno.

Sony A 700
1/125s
9.0f
ISO 200
Zoom Sigma DC a 75 mm

o lugar dos livros

Graças às gerações que estão para vir e ao consequente desenvolvimento da construção civil, não tarda muito que comecem a inventar-se maneiras menos dispendiosas de aguentar uma parede de pé, de facto é num Cemitério Geral que os resultados do progresso se encontram mais à vista dos estudiosos ou simples curiosos, há mesmo quem afirme que um Cemitério assim é como uma espécie de biblioteca onde o lugar dos livros se encontrasse ocupado por pessoas enterradas, na verdade é indiferente, tanto se pode aprender com elas como com eles.
Saramago, Todos os nomes

E silêncio


Os primeiros monumentos funerários eram constituídos por dólmenes, antas e mamoas, depois apareciam, como uma grande máquina estendida, em relevo, os nichos, as aras, os tabernáculos, as dornas de granito, as cubas de mármore, as tampas lisas e lavradas, as colunas dóricas, jónicas, coríntias e compósitas, as cariátides, os frisos, os acantos, os entablamentos e os frontões, as abóbadas falsas, as abóbadas verdadeiras, e também os panos de muro montados com tijolos sobrepostos, as empenas de muralhas ciclópicas, as frestas, as rosáceas, as gárgulas, os janelões, os tímpanos, os pináculos, os lajedos, os arcobotantes, os pilares, as pilastras, as estátuas jazentes representando homens de elmo, espada e armadura, os capitéis com histórias e sem histórias, as romãs, os lírios, as perpétuas, os campanários, as cúpulas, as estátuas jazentes representando mulheres de tetas apertadas, as pinturas, os arcos, os fiéis cães deitados, as crianças enfaixadas, as portadoras de oferendas, as carpideiras de manto pela cabeça, as agulhas, os pináculos, as nervuras, os vitrais, as tribunas, os púlpitos, os balcões, outros tímpanos, outros capitéis, outros arcos, uns anjos de asas abertas, uns anjos de asas caídas, medalhões, urnas vazias, ou fingindo chamas de pedra ou deixando sair languidamente um crepe, melancolias, lágrimas, homens majestosos, mulheres magníficas, crianças amorosas ceifadas na flor da idade, anciãos e anciãs que já não podiam esperar mais, cruzes inteiras, cruzes partidas, escadas, pregos, coroas de espinhos, lanças, triângulos enigmáticos, alguma insólita pomba marmórea, bandos de pombos autênticos voando em círculo sobre o campo santo. E silêncio.

Saramago, Todos os nomes.

casamento

watch out who you tell, this nigth is hanging on each word...*

*excerto de Unwind, Walkabouts