janelas

no poetry


2 comentários:

Maria de Sousa Pinto disse...

Há muita poesia! A natureza em seu esplendor!
O rochedo agreste, as urzes que lhe dão alguma cor, as árvores que à sua beira se abrigam, as casinhas que espreitam na paisagem e, ao fundo, a montanha onde a neve refulge iluminada pela luz que se escapa sorrateira entre as nuvens carregadas, prenunciando tempestades... talvez! Que belo quadro!

marteodora disse...

Obrigada, Maria de Sousa Pinto.